sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Programa ACESSUAS balcão de empregos gratuitos!




A Secretaria Municipal de Ação Social, Trabalho e Habitação de Itaperuna, através do Programa ACESSUAS Trabalho está implantando um balcão de empregos GRATUITO em Itaperuna-RJ.Convidando as Empresas a contribuírem com o Balcão de Empregos se cadastrando, disponibilizando as vagas que possuem em aberto e convida o público em situação de desemprego a fazer seu currículo eletrônico pelo site:





https://www.softwarerh.com.br/v2/acessuastrabalho ou nas dependências do Programa ACESSUAS Trabalho na Av. Cardoso Moreira, Nº 647, Centro de Itaperuna.
Telefone para contato: (22) 3824-606

Odontologia hospitalar é tema de audiência pública na Alerj


Comissão de Saúde, presidida por Jair Bittencourt, promoveu a discussão
















A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) promoveu uma audiência pública nessa quarta-feira (5) para discutir a realidade, os desafios e as oportunidades na atuação dos profissionais de odontologia em unidades de saúde. O evento aconteceu em parceria com a Associação de Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (Aherj) e a Associação Brasileira de Odontologia.
O deputado estadual Jair Bittencourt, presidente da Comissão, ressaltou a importância do Legislativo abrir espaço para que as categorias profissionais expressem suas necessidades. “Na questão dos dentistas, devemos reconhecer o seu papel na sociedade e a relevância de seu trabalho, por exemplo, dentro de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). É preciso que se respeite o fundamental papel do dentista no ambiente hospitalar”, declarou Jair Bittencourt.
Segundo o diretor do Departamento de Odontologia Hospitalar da Associação Brasileira de Odontologia no Rio de Janeiro, Paulo Pimentel, a odontologia se interliga a diferentes áreas da medicina. No caso de pacientes internados nas UTIs, os cuidados bucais são de extrema importância. “Por causa dos tubos respiratórios, há uma alta incidência de pneumonia associada à respiração mecânica. A condição é a que mais mata dentro dos hospitais e os tratamentos realizados pelos dentistas são as principais formas de prevenir”, explicou Paulo Pimentel.









 

Rio de Janeiro não paga servidores,aposentados e pensionista!







O Governo do Estado do Rio de Janeiro descumprirá decisão da Justiça que determina o pagamento de toda folha salarial do funcionalismo público até o terceiro dia útil do mês - que cai nesta quarta-feira (5). Se cumprisse decisão judicial da 8ª Vara de Fazenda Pública referendada em liminar pelo STF em julho, os cerca de 470 mil funcionários públicos (ativos e inativos) teriam seus salários pagos. Mas não é isso o que irá ocorrer. Em nota, a secretaria estadual de Fazenda do Rio informou que pagará nesta quarta apenas o salário dos servidores ativos da educação.

Isso só será possível devido ao remanejamento de recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), que é federal.
O Governo terá como pagar com recursos próprios apenas 70% do salário dos servidores ativos da segurança, nesta quarta. Os 30% restantes, segundo a secretaria, devem ser pagos no próximo dia 13.
Apenas no décimo dia útil deste mês (dia 17) que o restante do funcionalismo público, como servidores da saúde, aposentados e pensionistas, por exemplo, receberão seus salários. De acordo com a secretaria de Planejamento do Estado, há 244.935 servidores ativos no Estado. Aposentados somam 154.865 e pensionistas, 92.112.
Histórico
A medida anunciada pela secretaria de Fazenda descumpre a ordem judicial. Isso já ocorreu outras vezes e sempre que o governo incorre na prática, a Fasp-RJ (Federação das Associações e Sindicatos Dos Servidores Públicos do Estado do Rio) entra na Justiça pedindo o arresto das contas correntes do Estado do Rio. Em grave crise fiscal, o governo do Rio vem atrasando pagamento de salários de servidores desde outubro do ano passado. Na virada do ano, o Governo anunciou o parcelamento do pagamento do décimo terceiro salário e divulgou novo calendário de pagamentos, que priorizava ativos a despeito dos inativos, que receberiam até o início do mês seguinte.
Em liminar concedida em julho passado, o ministro do Supremo Ricardo Lewandoski entendeu que a prática era errada e determinou a volta do pagamento no calendário original - ou seja, até o terceiro dia útil do mês. À época, o STF derrubou multa estabelecida pela justiça Estadual de R$ 300 mil por dia em caso de descumprimento. 
Com a decisão, contudo, o estado pode incorrer em crime de desobediência, em caso de descumprimento, além de ter suas contas sob efeito de arresto.



   Servidores fazem manifesto mas não são ouvidos nem pela justiça,que deveria defender seus direitos se faz de cega,surda e muda. Pelo visto o pagamento só vai sair dia 17,pois um país que não  respeita as leis,o que fazer? 



Acaba greve em bancos privados e BB











Os bancários de bancos privados e do Banco do Brasil decidiram aceitar a proposta feita pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e encerrar a greve nesta quinta-feira (6), após 31 dias de paralisação da categoria.
Os trabalhadores da Caixa Econômica Federal de São Paulo e do Rio de Janeiro, no entanto, recusaram a proposta e seguem em greve. Também não aceitaram a proposta da Caixa os bancários de Amapá, Bahia, Maranhão, Pernambuco e Rio Grande do Norte. 
Segundo a Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), que ainda não divulgou o balanço completo do fim da greve, a maioria das assembleias do país aprovou tanto a proposta dos bancos quanto os acordos específicos do BB e da Caixa. 
Pela proposta aceita pelos bancários do setor privado na 11ª rodada de negociações, os trabalhadores terão reajuste salarial de 8% para 2016 mais um abono de R$ 3.500. Além disso, haverá aumento de 15% no vale-alimentação, 10% no vale-refeição, 10% no auxílio-creche e licença-paternidade de 20 dias.
Para 2017, ficou acertado que o salário será reajustado pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) com 1% de aumento real (acima do índice). 
Segundo o sindicato dos bancários, os dias de paralisação das agências deverão ser todos compensados, sem prazo limite. 

Mais de 13 mil agências paradas

De acordo com a Contraf-CUT, a greve afetou 13.123 agências e 43 centros administrativos na quarta-feira (5), o que representa 55% do total de agências do Brasil, disse a entidade.
A Fenaban, que representa as empresas, diz que não fez levantamento das agências paradas. 

O que os bancários pediam

Os trabalhadores reivindicavam:
  • Aumento de 14,78%, sendo 5% de aumento real, considerando inflação de 9,31%;
  • Participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários acrescidos de R$ 8.317,90;
  • Piso no valor do salário-mínimo do Dieese (R$ 3.940,24);
  • Vales alimentação, refeição, e auxílio-creche no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880);
  • Décimo quarto salário;
  • Fim das metas abusivas e do assédio moral.
Atualmente, os bancários recebem piso de R$ 1.976,10 (R$ 2.669,45 no caso dos funcionários que trabalham no caixa ou tesouraria).
A regra básica da participação nos lucros e resultados é 90% do salário, acrescido de R$ 2.021,79, e parcela adicional de 2,2% do lucro líquido dividido linearmente entre os trabalhadores, podendo chegar a até R$ 4.043,58. O auxílio-refeição é de R$ 29,64 por dia.

Não há teto para saúde e educação e oposição deveria ler texto da PEC, diz Temer





O presidente Michel Temer voltou a defender a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 241, que institui um limite ao crescimento dos gastos públicos e passou por seu primeiro teste na noite desta quinta-feira, 6, ao ter seu texto base aprovado por 23 votos a favor e 7 contra na Comissão Especial da Câmara que analisou a matéria.
Em entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta sexta-feira (7), Temer disse que a oposição deveria ler o texto da PEC antes de criticá-la.
"O teto (dos gastos) é de natureza global. O que será estabelecido é um teto geral. Não significa que existe um teto para saúde, para educação, para cultura. Saúde e educação continuarão sendo prestigiadas", falou. O presidente acrescentou que o orçamento para 2017, que já foi elaborado levando em conta a aprovação do teto, prevê um aumento da destinação de recursos tanto para saúde como para educação, com relação a 2016.
Temer disse que a oposição deveria perceber que a medida não é uma questão de governo, mas sim uma questão de Estado. "Precisamos recuperar o Estado agora para que em 2018 quem estiver aqui (na Presidência) possa receber um Brasil mais tranquilo, inclusive do ponto de vista fiscal", afirmou. Segundo ele, a PEC do Teto vai gerar investimentos e, consequentemente, empregos.

Desoneração

Falando ainda sobre o ajuste fiscal, Temer afirmou que o governo não fará nenhuma desoneração beneficiando determinados setores da economia. Ele aproveitou para reiterar que, neste momento, não trabalha com a possibilidade de elevar tributos. "Nesses últimos quatro meses não se falou mais de CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), como se falou por um bom período. Não vamos pensar em tributos", disse.
O presidente afirmou ainda que o governo "está prestigiando" o Bolsa Família, apesar de ser um programa da gestão anterior. "Não temos nenhum preconceito com isso, o que é bom deve continuar, mas revalorizado. Estamos revalorizando o Bolsa Família", comentou. "Estamos governando para o País, para os mais pobres e para toda a sociedade."

Popularidade

Assim como já havia declarado na quinta-feira (6), Temer disse que "não está preocupado com popularidade". Na entrevista à Rádio Gaúcha, ele comentou apesquisa CNI/Ibope que mostrou rejeição de 39% de seu governo.
"Recebo com a maior tranquilidade. Qualquer pesquisa agora não é reveladora da totalidade do governo", disse, lembrando que ele ficou quatro meses como interino, o que gerou limitações. "Já fizemos muitas coisas que antes não se faziam, principalmente numa conjugação muito grande de esforços com o Legislativo", falou.
O presidente repetiu que se chegar ao fim de seu governo, em 2018, com 4% ou 5% de avaliação positiva, mas tiver gerado emprego aos 12 milhões de brasileiros que estão desempregados atualmente, estará satisfeito.

Sistema FIRJAN leva cervejarias de Quissamã e Itaperuna para o Mondial de la Bière

Cerveja Ludmila, de Quissamã e Besten de Itaperuna  são as representantes da região no evento




Campos, 7 de outubro de 2016

Com oito marcas de cervejarias fluminenses, o Sistema FIRJAN espera surpreender o público da quarta edição do Mondial de la Bière, na próxima semana, no Píer Mauá. A ideia da Federação é apresentar o potencial da indústria de todas as regiões do estado, mesclando rótulos já há algum tempo no mercado de cerveja como a Barão Bier de Nova Friburgo, a Cidade Imperial de Petrópolis e a Penedon de Itatiaia,com marcas mais recentes: Besten de Itaperuna; Condessa, de Três Rios; Ludmila, de Quissamã; Ranz Bier, de Nova Friburgo; e Zuhause,de Miguel Pereira.

Durante os cinco dias de evento promovido pela Fagga | GL events Exhibitions, o Sistema FIRJAN promoverá sessões de degustação dos rótulos no estande A21, no Armazém A2. Ali, o público também terá acesso ao SENAI Tijuca, que apresentará seus cursos e serviços tecnológicos para empresas e empreendedores que atuam no setor bebidas. Assim como em todo o país, a expansão do mercado de cervejas especiais cresce exponencialmente também no estado do Rio. Em 2012 eram 13 e ao final do ano passado esse número pulou para 31 cervejarias registradas.

“Se considerarmos neste universo ainda as cervejarias que estão em fase de registro e as empresas conhecidas como ciganas (que produzem a bebida em unidades industrial de outras cervejarias) este número é superior a 60 marcas em todo o estado do Rio de Janeiro”, acrescenta Antonio Tavares da Silva, gerente setorial de Alimentos e Bebidas do Sistema FIRJAN. Segundo dados do Ministério da Agricultura, até o meio do ano, o total de cervejarias registradas no país era de 394, sendo o número de cervejarias artesanais superior a 300.

Unidade SENAI Tijuca

Aproveitando o ‘boom’ e o sucesso do Mondial de la Bière, o SENAI Tijuca participa pela primeira vez do evento apresentando um novo portfólio de cursos de aperfeiçoamento profissional para o segmento. Com uma unidade mais central e próxima das pessoas interessadas, o SENAI Tijuca está montando uma infraestrutura completa para atender a nova demanda da indústria cervejeira.

Além de oito novos cursos, onde se destacam os de Tecnologia Cervejeira Básica e de Análise Sensorial de Cerveja, a unidade também apresentará todas as atividades ligadas ao setor de Alimentos e Bebidas, como os serviços de análise laboratorial do Núcleo de Bioprocessos e os de consultoria tecnológica.

Entre as análises de metrologia promovidas pelo SENAI Tijuca estão: análise de qualidade de cevada/malte, análises de cerveja, análise de cachaça e destilados, análises de bebidas não alcóolicas e análises microbiológicas, entre outras. Já o empresário e empreendedor também contratar serviços de consultoria como implantação, diagnóstico e auditoria de sistema de gestão da segurança de alimentos, desenvolvimento de novos produtos e estudo de vida útil de produto.



Outras informações
Assessoria de Imprensa Regional
Norte e Noroeste Fluminense
+55 (22) 2736-9628/ (22) 99870-0358

Furacão ameaça três Estados nos EUA; Haiti registra mais de 840 mortos







O furacão Matthew segue em direção ao norte da Flórida e aos Estados de Geórgia e Carolina do Sul nesta sexta-feira (7), depois de ter deixado mortes e destruição no Caribe durante a semana. No Haiti, as agências oficiais governamentais registram pelo menos 842 mortos.
No sul da Flórida, uma mulher de 58 anos morreu depois de sofrer um ataque cardíaco e não conseguir receber atendimento. Ela morava em Saint Lucie, a 180 quilômetros ao norte de Miami, e não pôde ser levada a um hospital e nem receber atendimento dos serviços de emergência devido aos efeitos do furacão. 
A passagem do furacão também deixou cerca de 600 mil americanos sem luz.
Na manhã desta sexta-feira, o presidente Barack Obama disse na Casa Branca que os centros populacionais do sul da Flórida tinham "escapado do pior" do furacão Matthew, mas disse que as tempestades e enchentes continuam sendo uma preocupação real. Ele se reuniu com seus assessores e foi informado sobre a evolução de Matthew pelo chefe da Agência Federal para a Gestão de Desastres (Fema, sigla em inglês), Craig Fugate.
"Ainda estamos na parte frontal" do furacão, ressaltou Obama, ao acrescentar que serão necessários "três, quatro, cinco dias" até que se possa saber onde será o último impacto do furacão.
Ele também alertou a população do norte da Flórida, cujo centro populacional é a cidade de Jacksonville, da Geórgia e da Carolina do Sul. "Acho que a maior preocupação neste momento não é apenas a força dos ventos do furacão, mas um aumento das tempestades e enchentes. Eu enfatizo que este ainda é um furacão muito perigoso", disse.
Obama pediu que os americanos seguissem sempre a orientação das autoridades e estar alerta a qualquer pedido de saída. "Se mandarem evacuar, é preciso sair. As tempestades movem muito rapidamente. A situação ainda é muito perigosa, existe potencial para enchentes intensas", disse Obama. O presidente lembrou o furacão Sandy, de 2012, que no início não parecia tão intenso e depois causou várias enchentes.
O pedido de Obama para que as pessoas respeitem o alerta das autoridades foi endossado pelos governadores da Flórida, Rick Scott, e da Carolina do Sul, Nikki Haley.








quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Pacientes têm mais uma conquista através da Comissão de Saúde da Alerj

 


Foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro a resolução 1431, da Secretaria Estadual de Saúde, que cria um grupo técnico de atenção aos pacientes de feridas cônicas. Essa nova legislação é resultado de um trabalho realizado pela Comissão de Saúde da Alerj, presidida pelo deputado estadual Jair Bittencourt, que teve início com a audiência pública "Discussão e Construção de uma Política Pública para Atenção da Pessoa com Feridas Crônicas". A partir da audiência, as necessidades dos pacientes vieram à tona.









- Existem pessoas que tratam essas feridas há mais de 20 anos e não se curam. O debate estava esquecido. Nosso objetivo desde a audiência pública foi lutar para que fosse estabelecida uma política pública de atenção à pessoa com ferida crônica. E isso será possível através dessa resolução da Secretaria de Saúde - explica o deputado Jair Bittencourt.
No Estado do Rio, cerca de 350 mil pessoas sofrem com feridas crônicas. Entre as mais diagnosticadas estão a úlcera venosa e o pé diabético. Elas representam 90% dos casos no Rio. No caso do paciente com pé diabético, a falta de tratamento pode provocar a amputação do pé. No Brasil, são realizadas cem mil amputações por ano. Com prevenção e informação, esse número poderia cair pela metade.  



RESOLUÇÃO SES N° 1431 DE 13 DE SETEMBRO DE 2016















CRIA O GRUPO TÉCNICO DE ATENÇÃO A FERIDAS CRÔNICAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

O SECRETÁRIO DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições, e considerando a necessidade de estruturar no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde;

RESOLVE:

Art. 1º - Criar no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde o Grupo Técnico de Atenção a Feridas Crônicas composto conforme segue:

Coordenador - Representante da Subsecretaria de Unidade de Saúde.
Especialistas Técnicos:
Médicos: Representante do HEMORIO.
Representante do Hospital Estadual Getúlio Vargas.
Representante do Hospital Estadual Alberto Torres.
Representante do Hospital Estadual Carlos Chagas
Enfermeiros:Representante do Nível Central da SES.
Representante do Nível Central da SES.
Representante do CREMERJ.
Representante do COREN – RJ.
Representante da ALERJ.
Representante do Ministério Público.
Representante da Defensoria Pública.
Representante da Associação Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro.

Art. 2º - Caberá ao Grupo Técnico elaborar estudos para orientar a Secretaria de Estado de Saúde quanto a Protocolos e Procedimentos de Feridas Crônicas, sugerir Legislação sobre o assunto e opinar quando houver demanda judicial a respeito.

Art. 3° - Os Especialistas Técnicos foram escolhidos pelo Secretário de Estado de Saúde dentre os profissionais com reconhecimento saber e atuação na área.

Art. 4º - Esta Resolução entrará em vigor na data da sua publicação.

Rio de Janeiro, 13 de setembro de 2016
LUIZ ANTÔNIO DE SOUZA TEIXEIRA JÚNIOR
Secretário de Estado de Saúde










Produção de laranja aquece economia do Noroeste Fluminense


São José de Ubá, tradicional produtor de tomate, aposta na citricultura com apoio de programas estaduais











O município de São José de Ubá, no Noroeste Fluminense, conhecido como a “terra do tomate”, está se firmando como um novo pólo de produção de laranja, com safra anual média de 500 toneladas. A diversificação de cultivo é o resultado de investimentos promovidos por programas da Secretaria Estadual de Agricultura, como o Rio Rural e o Frutificar.
O produtor Carlos Roberto Marinho, da microbacia Santa Maria, está na quarta colheita de laranja das variedades Folha Murcha, Natal e Valência, de sabor mais adocicado, tradicionalmente consumidas in natura.  “Pouca gente acreditava que daria certo esse plantio em Ubá. Estou satisfeito por ter acreditado”, revela.
Com o Frutificar, programa estadual que concede crédito a juros baixos para investimentos em fruticultura, Marinho investiu R$ 50 mil reais no plantio de 1.200 pés. No terceiro ano, começou a pagar o empréstimo com a venda da primeira safra, que vai de junho a outubro. Com a quitação do investimento no ano que vem, pretende triplicar a área plantada.
O produtor também trabalha com pecuária de corte e produção de leite, mas afirma que a laranja possui o melhor custo-benefício de todos, além de ter grande procura no mercado e preço estável.





União de esforços










A integração dos programas agrícolas governamentais permite que os produtores rurais consigam estruturar melhor o processo produtivo em suas propriedades, pois cada incentivo prioriza ações específicas.
Nossa intenção é que os produtores desenvolvam uma grande capacidade gestora e aproveitem bem os recursos. Uma das metas é a geração de empregos no campo, resultado direto do crescimento da produtividade”, explica o secretário estadual de Agricultura”, explica o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo.
Carlos Roberto Marinho afirma que o Frutificar foi importante para garantir o plantio, enquanto o Rio Rural contribuiu para a produção de água, uma vez que o produtor implantou o subprojeto de proteção de nascentes, responsável pela melhor absorção da água de chuva no solo, que ajuda na irrigação.
No caso do produtor Antônio Cléber de Oliveira, o Rio Rural ajudou com na aquisição de caixas agrícolas, usadas para transportar alimentos. 
“Os custos de produção caíram quando ganhamos as caixas, que antes eram alugadas. Isso aumenta meu lucro na hora de vender as laranjas”, afirma o agricultor que cultivou tomate e pimentão por mais de trinta anos e hoje se dedica apenas à laranja.





Semente




As primeiras lavouras de laranja incentivadas pelo Frutificar em São José de Ubá foram formadas há seis anos, na intenção de que os agricultores locais diminuíssem a dependência da cultura do tomate, que apresenta preço instável no mercado. O Sebrae/RJ e a Federação das Indústrias do estado do Rio de Janeiro (Firjan) ficaram responsáveis pela contratação de consultores agrícolas, que fazem o acompanhamento dos laranjais.
“Temos 15 propriedades caminhando bem e vários agricultores interessados no segmento. O clima quente da região ajuda no cultivo”, conclui o técnico do Programa Frutificar, Denilson Caetano.