sexta-feira, 25 de março de 2016

Sexta-feira da Paixão missa na Paroquia Nossa Senhora Das Graças-RJ

Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora das Graças em Santo Antonio de Pádua, no bairro cidade Nova no interior do RJ  celebrada pelo Padre Marco Antonio Soares



À tarde da Sexta-feira Santa apresenta o drama incomensurável da morte de Cristo no Calvário. A cruz, erguida sobre o mundo, segue de pé como sinal de salvação e esperança. Com a Paixão de Jesus, segundo o Evangelho de João, contemplamos o mistério do Crucificado, com o coração do discípulo Amado, da Mãe, do soldado que o transpassou o lado. Há um ato simbólico muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da santa cruz, momento em que esta é apresentada solenemente à comunidade.















Sexta feira Santa o sentido desta celebração, palavras do Padre Marco Soares na celebração de hoje:
“Recordar uma vez crucificado por Cristo, somos uma nova criatura, só temos sentindo vivermos a cruz do Senhor.
No momento da cruz vamos distribuir a comunidade um prego e significados para os pregos, que são três.

O primeiro prego:   A  vida em nova em Cristo, o caminho de Jesus no ensino,renovar a si,Cristo vive em mim,primeiro resistindo a nossa vontade e interesses ,a vontade de cristo  é dá vida,e vida nova.
O primeiro prego é isso é difícil dizer não as pessoas, a você e sim a Cristo.
O segundo prego foi necessário para Cristo esse peso é tome sua cruz e me siga, discípulo é aquele que vai em direção do calvário.

Verdadeiro chamado de Deus deposita  a nossa esperança   e salvação na vida nova  e vida  no Senhor.
O seu caminho é a sua casa,seus parentes,amigos,colegas de trabalho,ambiente em que vivemos, local que estamos   é o nosso calvário.
Volta para seus sentimentos e pregar na cruz,ele é o Senhor e sabendo dar a vida as nossas vidas,se sacrificando  pelo o que esta a nossa volta.

Terceiro prego: Na verdade vai arrumar nossa vida, se alguém quiser saber sua vida é que perde por causa de mim, vai ganha-lá, a vida de Cristo.
Se você quiser ter o domínio de sua vida, controlar todos os passos de sua vida, pouco a pouco, no seu hoje e no amanha,vai perder você não tem que esta no controle da vida, a vida é Deus.
Se nós queremos estar crucificado com Deus,não temos que ter o controle de nossas vidas,confia no Senhor, ele esta na direção da nossa vida. È preciso prego para você ser crucificado por Cristo, por isso comprei um prego grande para você lembrar.Encontramos a resposta de toda existência.
 O prego segura Jesus na Cruz? Não ele o soltaria, o que segurou o prego foi o amor pelo ser humano, não havia  poder  nenhum sobre ele.

Não é o prego com sim, mas ao que ele representa. Ele morreu e deu a vida por muitos e nós pregamos nossa vida a cruz,é o nosso amor,pelo qual amamos a Deus e nós doamos ao próximo. Esse é o significado por amor, só por amor,que tomamos a realidade da vida, nós deixamos,nós perder para que Jesus seja o Senhor de nossas vida.
O amor segura você, se torna a sua existência no caminho, no emaranhado de sua existência.
 Em Gálatas, 2-20-21 nos fala  “Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.Não menosprezo a graça de Deus; mas, em verdade, se a justiça se obtém pela lei, Cristo morreu em vão.”Então temos que estar pregado ao amor de Cristo na cruz.Que a cruz seja nossa luz, sendo criaturas novas na companhia de Deus”.



Texto e Fotos:Márcia Mendes



















































































AGORA!GUERRA ENTRE GANGUES EM PÁDUA!



















Depois de um intenso tiroteio entre gangues no Bairro Cidade Nova em Santo Antonio de Pádua no interior do RJ,equipes do 36 Batalhão estiveram no local.
A Polícia Militar (PM), chega no local do tiroteio mas não prende ninguém,pois não encontraram as armas e nem os atiradores,alguns suspeitos detidos foram liberados.Já que temos uma lei catuca que acoberta a e fortaleze a ação de jovens traficantes,que são aliciados por traficantes cruéis. A policia fica de mãos atadas e quanto prendem o juiz solta e viram motivo de chacotas no meio da bandidagem. Com troca de tiros entre gangues rivais a qualquer hora do dia e noite.
moradores perdem a paz e temem por suas vidas.
E pedem: QUEREMOS PAZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!





















quinta-feira, 24 de março de 2016

Missa da Ceia do Senhor – Quinta-feira Santa!



Na paroquia Nossa Senhora Das Graças,missa celebrada pelo Padre Marco Antonio Soares









.



Iniciamos nesta noite o Sagrado Tríduo Sagrado da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.


Hoje termina a Quaresma. Adentramos no Tríduo Pascal. Depois de quarenta dias de penitência, de jejum e de conversão, com o tríduo Sacro inicia-se a celebração pascal, pois a morte e a ressurreição de Jesus constituem uma unidade.

Hoje, na Quinta-feira santa, contemplamos um “adeus”: a despedida de alguém que vai para o Pai, conforme nos ensina o Evangelho, mas que, ao mesmo tempo, deixa uma profunda nostalgia, sobretudo por causa do modo como essa despedida será levada ao termo, na noite seguinte. Daí o espírito bem particular desta celebração litúrgica: alegria, até jubilosa – o Glória, solenemente entoado, que somente voltará a ecoar na Vigília Pascal. Mas a alegria é uma alegria em tom menor, misturada com lágrimas, uma alegria reticente, inibida. É a única liturgia do ano, em que se canta o glória, sem que se entoe o Aleluia! Essa liturgia reflete bem o espírito dos fiéis diante dos últimos acontecimentos de Jesus neste mundo contraditório. Eles sabem o que os apóstolos naquela noite não sabiam: que Jesus está percorrendo seu caminho até a glória. Ao mesmo tempo, porém, sentem profundamente a dor desta noite de traição e aflição.

Celebramos nesta noite a instituição do banquete eucarístico como motor básico de nossas vidas de

cristãos. Eucaristia que brota do amor, criada por amor, missa que só se entende por doação e por misericórdia. Amor e doação que acompanha o povo hebreu desde a libertação de Moisés. Povo que caminhou duzentos anos no Egito e que, durante o exílio, ano após ano, antes da Páscoa, reuniam-se para celebrar a graça da libertação.



No tempo de Jesus a páscoa era celebrada com alegria, bem como, com apreensão porque há muito tempo os hebreus não experimentavam a liberdade completa, estavam subjugados pelo poder romano opressor.

Páscoa significa passagem da servidão para a liberdade. Cristo deu uma nova teleologia a esta passagem: do pecado para a graça. Aqui está a novidade para a páscoa cristã: abandonarmos o pecado e iluminar a nossa vida pela santidade de Cristo que irrompeu o reino da morte e anunciou a vida eterna.

A Eucaristia é um Deus-amor que se dá. O sacerdote, como a própria palavra o diz, é um dom de Deus para o povo. E foi para marcar esta doação de Deus e do padre, que Jesus, nesta noite de Quinta-Feira santa, quebrou novamente o ritual da ceia pascal judaica. Cingiu uma toalha e pôs-se a lavar os pés dos Apóstolos. Gesto proibido aos mestres. Gesto proibido aos senhores. Gesto proibido até mesmo aos escravos. O Evangelista João, que encheu, de forma muito densa, todo capítulo sexto do seu Evangelho com o mistério eucarístico, na última Ceia destaca o exemplo do lava-pés, de profunda doação e partilha.

Pedro pede que além de lavar os pés sejam lavadas as mãos e a cabeças. O filho de Deus lavou os pés de todos eles, acrescentando: “Também vós deveis lavar-vos os pés uns dos outros”. O que vem a ser isso? Realmente significa que devemos perdoar dos pés a cabeça, sem nenhum respeito humano.

A Igreja católica, comunidade de amor, alimentada e expressa pela Eucaristia e animada pelos ministros ordenados, nasce do mistério pascal de Cristo. Nesta noite Jesus é entregue e entrega-se aos discípulos como Corpo dado e Sangue derramado, antecipação de sua total entrega ao Pai. Poderíamos dizer que na Quinta-Feira Santa a Comunidade eclesial celebra o mistério da Igreja nascida do mistério pascal de Cristo.