quinta-feira, 18 de junho de 2015

Sessão Solene de Posse da Câmara de Vereadores Mirins de Pádua

Nesta quarta feira, dia 17 de junho, aconteceu a Sessão Solene de Posse da Câmara de Vereadores Mirins de Pádua. Uma festa de cidadania e alegria com a presença de todos os vereadores da Câmara de Pádua, os 13 vereadores mirins eleitos e seus respectivos suplentes. Também se fez presente o senhor Prefeito Josias Quintal, a Secretária de Educação Maria Cristina, a Secretaria de Ação Social Maria Tertuliana, o vice prefeito Pastor Otony, o ex prefeito e diretor do Colégio de Pádua Doutor Fernando Lavaquial, a Meritíssima Juiza da Comarca de Pádua, Cristina Sodré Chaves e demais autoridades. Muitos pais e professores, além dos diretores das escolas prestigiaram o evento. Vamos acompanhar algumas fotos da sessão solene.

ÔNIBUS DO HEMOCENTRO ESTÁ EM SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA HOJE 18.06

A cidade de Santo Antônio de Pádua esta recebendo neste dia 18 de junho o ônibus do Hemocentro de Campos. O objetivo é facilitar a vida daquelas pessoas interessadas em doarem sangue. O veículo ficará no estacionamento do Hospital Hélio Montezzano de Oliveira Polo até às 18h. A iniciativa é da Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Pádua, através da Secretaria Municipal de Saúde. O ônibus conta com equipamentos para doação de sangue, além de uma equipe com cinco técnicos, uma médica, dois motoristas e uma pessoa que realiza o cadastro do doador. O interessado em doar sangue deve comparecer ao local, onde passará por uma entrevista. Vale lembrar que não é preciso fazer jejum para doar o sangue é preciso somente não ter comido gordura e derivados. Se tiver ingerido, esperar um intervalo de até quatro horas para fazer a doação.

Aprovada reduzir para 16 anos a idade penal para crimes graves

Previsão é que relatório seja votado no dia 30 no plenário da Câmara. Medida precisa ser votada em 2º turno e depois seguir para o Senado. A comissão especial da Câmara dos Deputados que discute a maioridade penal aprovou nesta quarta-feira (17), por 21 votos favoráveis e 6 contrários, o relatório do deputado Laerte Bessa (PR-DF) que reduz de 18 para 16 anos a idade penal para os crimes considerados graves. O relatório original previa a redução para todos os casos, mas, após acordo entre os partidos, o texto foi alterado para prever punição somente aos jovens que cometerem crimes hediondos (como latrocínio e estupro), homicídio doloso (intencional), lesão corporal grave, seguida ou não de morte, e roubo qualificado. A alteração é fruto de uma negociação capitaneada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com o PSDB e lideranças de outros partidos numa articulação para derrotar o PT, contrário à redução da maioridade. A nova redação do texto não prevê mais a realização de um referendo popular sobre o tema, como constava no documento inicial. Pelo texto aprovado, jovens entre 16 e 18 anos cumprirão a pena em estabelecimento separado dos maiores de 18 anos e dos adolescentes menores de 16 anos. Cunha já avisou que pretende votar o relatório no plenário principal no próximo dia 30. Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), a matéria precisará de, no mínimo, 308 votos para ser aprovada. Se passar, ela terá ainda que ser votada em segundo turno na Câmara e depois em dois turnos no Senado. Os únicos parlamentares a votarem contra a redução da maioridade penal foram os deputados Margarida Salomão (PT-MG), Maria do Rosário (PT-RS), Arnaldo Jordy (PPS-PA), Tadeu Alencar (PSB-PE), Weverton Rocha (PDT-MA) e Érika Kokay (PT-DF). Foi aprovada ainda a inclusão de um trecho que estabelece que os governos vão ter que criar políticas de atendimento aos jovens infratores. Sessão tumultuada Com bate-boca e provocações dos dois lados, a sessão foi realizada em um plenário lotado. Apenas deputados, assessores parlamentares e profissionais de imprensa tiveram o acesso liberado. Do lado de dentro, era possível ouvir o barulho dos apitos, as vaias e os gritos de “fora, Cunha” e “não à redução” dos manifestantes, que se aglomeravam do lado de fora. No plenário, os discursos se alternavam a favor e contra o relatório. Ao apresentar as mudanças no seu texto, Bessa, que é ex-delegado de polícia, fez uma defesa inflamada da redução da idade penal. “O cidadão de 16 anos sabe muito bem distinguir entre o que é um ato lícito e um ato ilícito. Não podemos dizer que um menor de 16 anos é inimputável, isso é um absurdo”, afirmou. Ele lembrou ainda a sua atuação como policial e disse que quem hoje se diz contrário à redução é porque “nunca esteve na rua para enfrentar um bandido”. “A minha convicção não é só baixar de 18 para 16 anos. Queria pegar mais um pouco, uma lasca desses criminosos, bandidos”, declarou. O deputado Delegado Éder Mauro (PSD-PA) disse que preferia “encher a prisão de bandido do que o cemitério de gente inocente”.
Diante da demora para a votação, o governo federal mobilizou uma força-tarefa para acelerar a aprovação do relatório. O líder do governo, José Guimarães (PT-CE), e o ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil), próximo da articulação política do Planalto, foram até a comissão acompanhar os trabalhos e, de tempos em tempos, conversavam ao pé do ouvido do presidente da comissão, André Moura (PSC-SE). O temor do governo era que a comissão atrasasse a votação da pauta do plenário principal, que tem na fila o projeto de lei sobre as desonerações nas folhas de pagamento, parte do ajuste fiscal. Pelo regimento da Câmara, quando os trabalhos no plenário têm início, as comissões ficam proibidas de votar qualquer coisa. Deputados contrários à redução da maioridade penal acusaram a comissão de querer atropelar a discussão e votar a matéria na pressa. O deputado Weverton Rocha (PDT-MA) reclamou que os trabalhos no colegiado foram apressados após Cunha anunciar na sua conta no microblog Twitter que votaria o relatório no plenário no final do mês. A deputada Margarida Salomão (PT-MG) tentou argumentar que a medida terá pouco efeito prático para reduzir os problemas de segurança. “Todos nós desejamos que diminua a violência na sociedade. No entanto, dada a insignificância estatística da participação de jovens, penso que a redução é uma medida inadequada”, afirmou. “A bala não resolve tudo”, protestou a deputada Érika Kokay (PT-DF). Darcísio Perondi (PMDB-RS) acusou os parlamentares favoráveis à redução de “populismo penal”. “Vocês serão cobrados na próxima eleição [pela redução dos índices de violência]. Vocês estão vendendo algo que não vão entregar”, alertou. “Eu não quero que a sociedade se sinta segura sem estar. Eu quero garantir segurança pública para todos”, argumentou Alessandro Molon (PT-RJ), alegando ainda haver inconstitucionalidade na proposta, uma vez que, na sua visão, altera uma cláusula pétrea da Constituição, como são chamados os direitos considerados fundamentais que não podem ser mexidos. Em outro momento de ânimos acirrados, o deputado Sérgio Vidigal (PDT-ES), crítico à redução, alfinetou os parlamentares com carreira policial ao declarar que, na Câmara, não havia “delegado, capitão ou coronel”, mas que ali todos eram deputados. A declaração foi rebatida de pronto por vários parlamentares. “Que babaquice é essa? Está querendo aparecer?”, questionou Alberto Fraga (DEM-DF), coronel da reserva da Polícia Militar. Tensão Antes mesmo do início da sessão, o clima já era de tensão. Por conta do tumulto na reunião anterior do colegiado, que teve até spray de pimenta, o acesso do público ao plenário da comissão foi proibido. Nos corredores que levam às salas das comissões, seguranças isolaram a passagem e só liberaram o acesso para parlamentares, servidores credenciados e imprensa. Houve bate-boca quando foi notada a presença da presidente da União Nacional dos Estudantes, Carina Vitral, que, em princípio, não poderia acompanhar a sessão do plenário. Aos brados, deputados pediram a saída dela. O presidente da comissão, André Moura (PSC-SE), porém, decidiu autorizar a sua permanência desde que ficasse atrás do cordão de isolamento. Polêmico, o tema mobilizou os deputados de diversos partidos, que compareceram em peso à comissão. Cinco das seis filas do plenário foram ocupadas pelos parlamentares, algo incomum no dia a dia das comissões. Logo no início, o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) fez uma manobra para garantir a votação. Embora favorável à redução, ele apresentou um requerimento para retirar o tema de pauta, sabendo de antemão que os deputados ligados à área de segurança pública, presentes em maior número na sessão, conseguiriam derrubar o requerimento. A medida foi uma estratégia para evitar que novos requerimentos, que pudessem atrasar a votação, fossem apresentados por partidos contrários à redução. A deputada Maria do Rosário (PT-RS) reagiu, mas o requerimento de Fraga acabou rejeitado por 21 votos contrários e 6 favoráveis e, assim, a votação continuou. Para acelerar a votação, foi aprovada ainda a inversão de pauta, por um placar idêntico de 21 a 6, o que permitiu que fossem puladas etapas burocráticas, como a leitura da ata, e se passasse diretamente à discussão e votação do relatório. Fonte: G1

Dilma veta fator previdenciário e edita MP com regra progressiva

Governo criará proposta que vai variar de acordo com a expectativa de vida. Centrais sindicais pediram que a presidente não vetasse texto do Congresso. O Palácio do Planalto divulgou nota oficial nesta quarta-feira (17) na qual informa que a presidente Dilma Rousseff vetou a mudança no cálculo do fator previdenciário aprovada no Congresso Nacional. Segundo o comunicado, a chefe do Executivo editou uma medida provisória com uma proposta alternativa, na qual a fórmula usada para calcular a aposentadoria irá variar progressivamente de acordo com as expectativas de vida da população brasileira. O texto da MP será publicado na edição desta quinta (18) do "Diário Oficial da União", informou ao G1 o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva. A emenda que flexibilizava o fator previdenciário, aprovada pelo Legislativo durante a votação de uma das MPs do ajuste fiscal, estabelece a chamada “fórmula 85/95”, que permite a aposentadoria integral quando a soma da idade e do tempo de contribuição atingir 85 (mulheres) ou 95 anos (homens). Atualmente, a Previdência Social utiliza uma fórmula matemática, o chamado fator previdenciário, que tem o objetivo de reduzir os benefícios de quem se aposenta antes da idade mínima de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens, e incentivar o contribuinte a trabalhar por mais tempo. Quanto menor a idade no momento da aposentadoria, maior é o redutor do benefício. Na avaliação do governo, a mudança vetada por Dilma inviabilizaria a Previdência, pois aumentaria os gastos, até 2060, em R$ 3,2 trilhões. A medida provisória que oficializará a proposta alternativa do governo à fórmula 85/95 passará a valer como lei já a partir desta quinta e irá vigorar por até 120 dias, enquanto o parlamento analisa o texto. Somente na edição desta quinta do "Diário Oficial" é que o governo irá explicar todas as regras da MP, como, por exemplo, o período em que a progressividade ocorrerá. Com a publicação da medida provisória, uma comissão especial, formada por deputados e senadores, apreciará o texto e poderá fazer alterações. Se o Congresso não aprovar a MP em até 45 dias, a medida passara a trancar a pauta de votações até ser votada. Dia de negociações Disposta a vetar a emenda aprovada pela Câmara, mas pressionada por centrais sindicais e por integrantes do próprio PT, Dilma delegou aos seus ministros mais próximos a tarefa de negociar uma proposta alternativa à fórmula 85/95. Ao longo da tarde, os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Carlos Gabas (Previdência) e Edinho Silva (Comunicação Social) se reuniram no Planalto para discutir o assunto. Em seguida, eles foram chamados ao gabinete da presidente da República para dar sequência às negociações. Restando menos de seis horas para o fim do prazo de sanção ou veto da MP da pensão por morte, na qual havia sido inserida a emenda do fator previdenciário, os ministros Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral) circulavam pelos gabinetes dos presidentes da Câmara e do Senado para tentar obter apoio à regra progressiva de aposentadoria. Ao final da reunião com os ministros, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou a repórteres que considera um "avanço" a decisão de Dilma de manter a fórmula 85/95, ainda que com a regra de progressividade. Para ele, ao manter a essência do mecanismo aprovado pelo Congresso, a presidente da República fez um "gesto no aprimoramento da relação" entre Executivo e Legislativo. "Partindo do 85/95, significa dizer que está partindo do que o Congresso aprovou. Isso, sem dúvida, é um avanço. Vamos ter oportunidade daqui para frente de discutir a regra da progressividade. Mas, partindo do 85/95, claro que é um avanço, porque essa foi a decisão do Congresso", observou Renan. "Vamos ter a oportunidade de discutir a progressividade. É importante melhorar essa regra", complementou. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também elogiou a decisão do governo de não ter desconsiderado completamente a proposta aprovada pelos congressistas. Um dos principais críticos do Planalto no Legislativo, o peemedebista também destacou como positivo o fato de os ministros terem ido ao parlamento informar sobre as mudanças antes de anunciá-las oficialmente. “O governo apresentou suas razões e está apresentando uma medida provisória. Vamos ver a reação do conteúdo. Eles tiveram a gentileza de mostrar o que vão fazer, que é manter o 85/95 com uma progressividade depois. Vamos ver”, ressaltou. Pressão sindical Na última segunda (15), representantes da Força Sindical, da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de outras cinco centrais sindicais se reuniram com os ministros Carlos Gabas (Previdência Social) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral), em Brasília, para reivindicar que a presidente da República não vetasse a mudança aprovada no Congresso. No dia seguinte, manifestantes ocuparam a Praça dos Três Poderes, em frente ao Palácio do Planalto, para pressionar a petista. Na tentativa de acalmar os sindicalistas, o titular da Previdência foi escalado por Dilma para dialogar com os líderes das centrais sindicais e explicar os detalhes da proposta incluída na nova medida provisória. Em nota divulgada após a Presidência confirmar o veto à emenda do fator previdenciário, a Força Sindical afirmou que a decisão de Dilma demonstra "sua total insensibilidade social". Para a entidade, a petista perdeu "uma ótima oportunidade de ampliar os direitos dos trabalhadores". Na visão da central, a fórmula 85/95 não "penalizaria" tanto os trabalhadores na hora de eles se aposentarem. "O governo, que foi eleito prometendo uma melhor distribuição de renda e manter os direitos trabalhistas e previdenciários, não cumpre, ao barrar a instituição da fórmula 85/95, suas promessas de campanha. Ou seja: mais uma vez, o governo vira as costas para as demandas e anseios dos trabalhadores", diz o comunicado da Força. Responsável pela interlocução do governo com os movimentos sociais, o ministro da Secretaria-Geral, Miguel Rossetto, defendeu, por meio de uma nota oficial, o fato de a chefe do Executivo ter mantido a fórmula 85/95 representa uma "conquista para os trabalhadores brasileiros e atende à reivindicação das centrais sindicais". "Reconhecendo que a população brasileira vive mais, o que é bom, e que a Previdência tem que ser sustentável, a progressividade na regra 85/95 garante os direitos dessa geração e das gerações futuras”, escreveu Rossetto no comunicado. O senador Paulo Paim (PT-RS), um dos principais defensores do fim do fator previdenciário, publicou mensagem em sua conta no microblog Twitter logo após o veto. "O Brasil inteiro quer saber: que fórmula progressiva é essa????? [...] Com certeza, se a tal progressividade for indecente, vamos trabalhar para derrubá-la", postou o parlamentar. Leia a íntegra da nota divulgada pela assessoria do Planalto: Dilma mantém 85/95 e propõe progressividade A Presidenta Dilma Rousseff veta o Projeto de Lei de Conversão 4/2015 e edita Medida Provisória que assegura a regra de 85 pontos (idade+tempo de contribuição para mulheres) 95 pontos (idade+tempo de contribuição para homens), que fora aprovada pelo Congresso Nacional. Ao mesmo tempo, introduz a regra da progressividade, baseada na mudança de expectativa de vida e ao fazê-lo visa garantir a sustentabilidade da Previdência Social. SIP/SECOM (*) Colaborou Lucas Salomão

Vereador Alexandre Brasil pede explicações sobre o patrimônio do recém-fechado matadouro municipal

O vereador Alexandre Brasil ao fazer um da palavra na sessão legislativa de segunda feira parabenizou a todos os participantes do desfile cívico escolar, como os clubes de serviço, as instituições, as escolas, e todos os demais envolvidos nesse desfile, que apesar de alguns percalços, foi muito bonito e bem apresentável. Alexandre parabenizou também aos participantes da Festa de Santo Antonio, corrido na praça, que com muita garra levaram a festa com muito sucesso. Destacando que a renda da Festa deste ano foi destinada aos trabalhos do Centro Social São Camilo, instituição que presta excelente serviço em nossa cidade com cursos e atendimentos. O vereador Alexandre solicitou que fosse concedida uma Moção de aplausos às servidoras da Câmara de Vereadores de Pádua, Gracinha e Mirian, ao Assessor jurídico da casa de leis, Doutor José Wilson Jubim, ao contador da casa Anilton Gabry e o tesoureiro da Câmara senhor Lúcio, pelos relevantes serviços prestados no período que o Vereador Alexandre Brasil esteve à frente do legislativo, no ano de 2013. Segundo Alexandre, foi graças ao trabalho responsável destes servidores que as contas de seu período como presidente foram aprovadas sem ressalvas no Tribunal de Contas do Estado. Sobre o projeto Câmara Mirim Alexandre parabenizou a vereadora Vanderleia, pela criação da lei e ao vereador Paulinho pela execução do ato, muito importante para a solidificação da democracia e desenvolvimento de um senso critico nos jovens participantes. Ainda na sessão de segunda feira, o vereador Alexandre Brasil citou resposta, em ofício, do executivo, de uma solicitação de explicações sobre o patrimônio do recém-fechado matadouro municipal após a saída da Marchantaria Exata, que administrava aquele prédio. Alexandre relembra que ao visitar as dependências do Matadouro, verificou que poderia estar faltando alguns equipamentos e fez a solicitação de prestação de contas da prefeitura. No entanto, segundo Alexandre, o documento apresentado pelo setor de patrimônio da prefeitura, não atende aos seus questionamentos, por isso, solicitou que seja enviado à prefeitura outro ofício pedindo a relação dos bens que estavam no prédio do Matadouro antes da empresa Marchantaria Exata assumir e os bens que foram devolvidos a prefeitura, provando que nenhum patrimônio do município foi extraviado.

Vereador Jadir Junior ao registrar reclamação de um comerciante falou sobre criticas que vem recebendo do senhor prefeito Josias Quintal

“Reclamação de buracos em ruas é coisa de vereador sem historia, sem serviços prestados, oportunista e bom de bico e que falar de buraco é coisa velha e ultrapassada.” (Josias Quintal) Na sessão de segunda feira, dia 15, o vereador Jadir Junior ao registrar reclamação de um comerciante da Rua Nestor Bustamante, no Bairro Cidade Nova, falou sobre criticas que vem recebendo do senhor prefeito Josias Quintal, especialmente as veiculadas no último programa do executivo, onde foi citado pelo chefe do executivo, que “reclamação de buracos em ruas é coisa de vereador sem historia, sem serviços prestados, oportunista e bom de bico e que falar de buraco é coisa velha e ultrapassada.” Jadir argumenta, que ao contrário, falar de buracos em Pádua é coisa muito atual pois a cidade está toda esburacada. Completando seu raciocínio, Jadir enumera que o que é velho “são os anseios do povo que votou por mudança e ela ate agora não aconteceu, que velho são os problemas da saúde que a cada dia piora, velho é o problema crítico da iluminação pública de uma cidade às escuras, são os anseios do comercio com a corda no pescoço e o transito cada dia pior”. Jadir arremata que “se for pra falar de coisa nova pode falar da mudança prometida que foi pra pior, do acórdão misterioso da iluminação pública, as precatórias que poderiam ser pagas em vinte anos e que por perdas de prazos são pagas integralmente, perdas de prazos também com ações trabalhistas e projetos enviados a câmara para aprovação urgente, e muito mais”.
Jadir Junior destacou que ninguém fica três mandatos consecutivos na Câmara se não tiver serviço prestado, “a prova disso foi o próprio prefeito que foi deputado tentou se reeleger e não conseguiu”. Em seu discurso, Jadir destacou que a historia de sua família começou com seu avô, enumerando grandes feitos de seu avô e seu, por Marangatu e Pádua, até os dias de hoje, com seus três mandatos. Jadir relembrou o prefeito que em Brasília, pode juntamente com outros vereadores e o próprio prefeito estar reunido com o deputado Washington Reis para solicitar inúmeros aparelhos e melhorias para a saúde local e outras áreas. Finalizando, Jadir afirmou que “reclamar de buraco foi uma ofensa tão grande que o prefeito dedicou 15 minutos do seu programa ao assunto” e deixou claro que “como vereador precisa falar o que os cidadãos necessitam não o que faz bem aos ouvidos do prefeito”. Fonte ascom câmara

Vereador Tenente Bastos falar sobre sua preocupação com a votação do Plano Municipal de Educação que aborda polemico assunto da ideologia de gênero



O vereador Tenente Bastos usou uma Palavra na Sessão da Segunda jornal Última feira, dia 15, parágrafo FALAR Sobre SUA Preocupação com a Votação do Plano Municipal de Educação, Documento Que Está na Câmara de vereadores Para Ser discutido e Aprovado.
Bastos Afirma Que este e Um Documento Importante Que vai determinar a Linha de Conduta da Educação pública em Santo Antonio de Pádua, nos Próximos 10 anos, e destacou that Ao examinar Todo o Plano, percebeu Que Nele consta o polemico ASSUNTO d uma ideologia de Gênero , materia that Já reprovada no Congresso Nacional e that foi introduzida Novamente cabelo Fórum Nacional de Educação.
Sem Documento Aprovado nenhum fórum e enviado a todos OS municípios brasileiros, o Conselho Nacional de Educação apresenta Como diretriz OBRIGATÓRIA nas Escolas Públicas, a Ideologia de Gêneros, that that Determina Ninguem nasce homem ou mulher, that o individuo E that desen Definir Seu Gênero Ao Longo de SUA vida.
Bastos Acredita that Esse tema Precisa Ser Mais Bem discutido e, em Nome da Família, Retirado OU reprovado fazer texto original é fazer Plano Municipal de Educação.
ENTÃO foi sugerido cabelo presidente da Câmara, Paulinho da Refrigeração, that ESSA parte do texto SEJA Retirada e analisada em separado, apos Uma Conversa com a Secretaria de Educação e Que o restante do Plano POSSA Ser votado apartir da Próxima Sessão.
Essa posição da Câmara agradou Ao vereador Bastos Que se mostrava Muito contrariado com a possibilidade da casa de leis Paduana aprovar o Documento tal qua foi enviado Pelo Conselho Nacional de Educação, MESMO com o veto do Congresso Nacional e da Presidência da República.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

ELEITOS OS VEREADORES MIRINS DA CÂMARA DE PÁDUA.

Foram eleitos nesta segunda feira os 13 vereadores mirins titulares e os 13 vereadores mirins suplentes, da Câmara de Vereadores de Santo Antonio de Pádua.
A eleição aconteceu, de forma direta, nas escolas municipais, particulares e estaduais de todo o município, com a participação dos alunos do segmento do 6° ao 9° ano. Ao todo 15 escolas participaram do processo eleitoral, sendo que 13 escolas conseguiram os vereadores titulares e outras duas ficaram como suplentes.

Alunos e Professores acompanham a divulgação dos votos.


A apuração das eleições apontou como eleitos os seguintes vereadores: Denise Ferreira Dias – Escola Viva, Lívia Haikal Correia – CEPRA, João Vitor Silva Oliveira – CIEP 266, Kemille da Rocha Magalhães Domingues – João Mauricio Brum(Boa Nova), Helena Reis Vaz da Silva – Pedro batista(Chalé), Caio José dos Santos Lucas – Sarah faria Braz, Maria Mercedes Morais – Salim Simão, Matheus de Oliveira Araújo – Colégio de Pádua, Pamela Azevedo – Lemant Decnop(Monte Alegre), Vanderson de Jesus Monteiro – Lélia Leite de Faria(Santa Cruz), Werverton Dias da Silva Oliveira – Antonio Teixeira Jardim(São Pedro), Thifany Silva dos Anjos – Manoel Miguel Souto( Campelo) e João Vitor carvalho – José Pinto de Souza(Marangatu).
A lista de vereadores suplentes apresenta os seguintes nomes: Odylaine dos santos Gonçalves – Alcino Cosendey(Ibitiguaçu), Diego Ferreira – Leonel Homem da Costa, Matheus ramos Correia – Escola Viva, Natalia Fonseca Brassolino Ruback – Pedro Batista, Vitoria Souza Oliveira Machado Gossani – Salim Simão, Anderson José Filho – Ciep 266, Maria Fernanda Kezen – Colégio de Pádua, Daniel de Sá – Lemant Decnop, João Hitalo Salviano Barros – Sarah faria Braz, Kaiany Silveira Silva – Manoel Miguel Souto, Rafani Oliveira Pimenta – Antonio Teixeira Jardim, Mileny Lopes Barros – José Pinto de Souza e Maria Cassiana Costa – João Maurício Brum.
A cerimônia de Posse da Câmara Mirim de Santo Antonio de Pádua acontece nesta quarta feira, dia 17, às 18 horas, no plenário da Câmara de vereadores, com a presença de pais, responsáveis e professores. O tempo de mandato dos vereadores mirins eleitos nesta segunda feira será de seis meses e os titulares e suplentes serão diplomados.
Cada vereador mirim será acompanhado por um vereador da Câmara de Pádua, como seu padrinho. Os vereadores foram escolhidos através de sorteio e estarão acompanhando e orientando os trabalhos da Câmara mirim.
A primeira reunião deverá promover a eleição da Mesa Diretora que conduzirá os trabalhos da Câmara Mirim, mediante votação aberta, para preenchimento dos cargos de Presidente, Vice-presidente e Secretário. Não haverá remuneração ou pagamento para o vereador mirim.
Vereadores e servidores da Câmara que participaram da eleição mirim.
Fonte

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Mais detalhes sobre o acidente envolvendo o Terceiro SGT PM Erick Cesar

 Mais detalhes sobre o acidente envolvendo o Terceiro SGT PM Erick Cesar, nascido em 14/11/1977, do 36 BPM. No dia 14 de Junho de 2015 às 9:45min, quando conduzia o veículo Corsa de cor prata placa LNV 7067/MG ( sozinho) pela BR 267- Km 71 Bicas-MG, veio a desgovernar e capotar o referido veículo, foi socorrido pelo SAMU e conduzido ao Hospital de Pronto Socorro de Juiz de Fora/MG onde veio a falecer . 
Não houve outro veículo envolvido.


Fonte: 36º BPM

Gabarito do concurso da UFF-RJ será publicado na segunda-feira



Concurso público para técnicos administrativos da Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ) oferece 109 vagas para todos os níveis de escolaridade. Os gabaritos das provas sairão a partir das 14 horas desta segunda-feira.

Os mais de 14 mil candidatos inscritos que realizaram as provas objetivas do concurso da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro, poderão conferir as respostas da prova aplicada nesta segunda-feira. Segundo a administração e coordenação do certame, os gabaritos preliminares serão divulgados no dia 15 de junho de 2015, a partir das 14 horas.
O concurso da Universidade Federal Fluminense (UFF), preencherá 109 vagas em cargos técnicos administrativos em educação para admissão de profissionais em várias áreas com salários de R$ 1.739,04 a R$ 3.666,54, mais auxílio alimentação. Há oportunidades para todos os níveis de escolaridade nos campi de Volta Redonda, Santo Antônio de Pádua, Rio das Ostras, Nova Friburgo, Niterói e Angra dos Reis. Confira oedital de abertura para ver mais sobre a seleção e detalhes da pontuação para aprovação.
Os gabaritos poderão ser consultados no site da UFF-RJ e também no portal Gabaritos Concursos, que acompanha as atualizações da organizadora.
Os recursos contra a formulação das questões da prova ou do gabarito poderão ser feitos até as 23h59min do dia 16 de junho de 2015, apenas por formulário próprio disponibilizado pela COSEAC, no endereço eletrônico do Concurso - www.coseac.uff.br/concursos/uff/2015.
O resultado preliminar da nota da prova objetiva e o resultado dos recursos previstos saem na data prevista de 26 de junho de 2015, a partir das 14 horas.
O concurso será válido por um ano a contar da data da publicação do edital de homologação no Diário Oficial da União, podendo ser prorrogado por igual período.


PRISÃO DO TRAFICANTE WEMERSON CHEFE DO CV NA PONTE SECA - APERIBÉ E SEUS COMPARSAS


Guarnição do PPC da Ponte seca e Patamo da 2ª CIA quando em abordagem nas casas populares na Ponte Seca em Aperibé constatou que o vulgo Réu se desfez de uma pequena quantidade de material aparentando maconha, que durante a abordagem foram desacatados por Wemersom Ferreira da Silva, Réu e o menor V. os quais ameaçaram os Policiais Militares, desobedeceram e tentaram incitar a população, em seguida empreenderam fuga para o morro, mas com o apoio das viaturas patamo das 1ª e 3ª CIAs, setor Eco, Supervisão de oficial e graduado, setor Juliete, os elementos foram detidos e conduzidos a 136 DP para registro.

O Wemerson chegou a rasgar a farda do PM Arangole, causando dano ao patrimônio Público, sendo ainda autuado nos artigos 331 desacato, 330 desobediência e 329 resistência, Rafael Araujo da Silva, vulgo Réu, no artigo 28 e o menor entrou como testemunha.

Fonte e foto: 36ºBPM

Policial do 36º BPM de Santo Antônio de Pádua morre em Acidente Automobilístico


É com grande tristeza que comunicamos o falecimento do 3° Sgt PM RG 72.168 Erick Cesar, do 36º BPM, em Acidente Automobilístico, ocorrido entre Bicas e Juiz de Fora/ MG, na manhã de domingo, 14/06 e veio a óbito com traumatismo craniano. O mesmo encontrava-se de férias e residia em Leopoldina - MG. 


Esposa: Lucimar Aparecida Ferreira Neto Cesar

Filho: Mateus Neto Cesar, 13 anos.
Que Deus o tenha e conforte seus entes queridos ! Perder um integrante da nossa família é motivo de consternação. Oremos para que o nosso companheiro sangue azul habite em paz e harmonia o Oriente Eterno ! Assim seja ! Com imensa gratidão pelos seus relevantes serviços prestados a nossa grandiosa Corporação. Ass: Comando,Oficiais e Praças do 36º BPM.

Nota: 36ºBPM

domingo, 14 de junho de 2015

Tenente da Policia Militar de Pádua - RJ tem mochila furtada e recuperada horas depois


PRISÃO POR FURTO DE MOCHILA DO TEN CEL JOÃO CARLOS - Após levantamento da P2/36º BPM chegou-se ao elemento irapuã que furtou mochila do Ten Cel João Carlos ,foi preso hoje pela manhã e foi realizada revista na residência do mesmo. O mesmo confessou o furto. 

Material recuperado: mochila, o Net Book e algumas peças de Roupa. Elemento falou que jogou a agenda no Rio juntamente com os documentos. Equipe levou o elemento para mostrar onde jogou. Após buscas não logrou êxito em encontrar o restante dos documentos, porém estará atenta a possível utilização da identidade do Oficial PM para fins diversos. Todo o material recuperado foi entregue ao Oficial e efetuado o devido registro em DP.

Fonte: 36ºBPM

Após Acidente de trânsito com vitima PM encontra munição em veiculo

APREENSÃO DE MUNIÇÕES - Após Acidente de trânsito com vitima em Miracema- RJ 200-Miracema/Paraíso Tobias .Policiais Militares realizaram revista no veículo acidentado sendo encontradas três munições cal. 38. Tendo como condutor o Nacional Laércio Daniel da Silva que foi conduzido à DP para o devido registro.



Fonte: 36º BPM

Ex-vice Prefeito esquece chave na ignição do veiculo e rapaz com problema mentais furta carro e bate em seguida .

O jovem Mateus, com aproximadamente 18 anos pegou o veiculo sem autorização do proprietário Sr. José Maria Martins, que estaria com a chave na ignição e o “pegou” para dar uma volta, ele saiu pela cidade, batendo em vários locais, Mateus faz tratamentos e não sabe dirigir, ele acabou caindo com o veiculo em um terreno e quando foi socorrido pela equipe do Hospital Municipal estava dormindo, ele disse que queria dormir.
Mateus não teve ferimentos graves.